Países Baixos – Netherlands

[PT] E depois há a Ida e o Machiel (ou, como gostamos de o chamar, Mike) um casal encantador, pessoas ligadas à água pelas suas origens: tanto eles como as gerações anteriores viveram sempre em casas barco. Ainda hoje ele é marinheiro, num barco rebocador, e passa grande parte do seu tempo em alto mar. A Ida é professora de crianças com necessidades especiais, e com as quais faz atividades muito interessantes e cativantes como passeios educativos na floresta. Passámos mais que um dia em sua casa e levaram-nos a visitar o museu de linha de água, no forte de Vechten, onde pudemos perceber como é que a Holanda, através das linhas de água, se protegeu durante a 1ª Guerra Mundial. Quando um dia escrever um livro sobre esta viagem, tenho a certeza que vou ter umas quantas páginas para falar sobre os agradáveis momentos que passámos com eles. E se um dia puder construir uma casa tão grande que dê para albergar todas as pessoas que tenho em mente, eles fazem garantidamente parte da lista.

[EN] Then there is Ida and Machiel (or, as we like to call him, Mike), a lovely couple with a strong connection with the water due to their origins: a number of generations living in boat houses. Still today Machiel is a sailor on a tow boat, most of his time is spent on the sea. Ida works as a teacher of children with special needs with whom she does interesting and catchy activities such as educational walks on the forest. We spent more than one day at their place and they took us to visit the Waterline Museum, on the Vechten Fort, where we could see how Holand was protected using the waterlines, during WWI. One day, when I write a book about this trip, I am sure I will fill numerous pages about the good moments we spent with them. And, if one day I can build big a house so big that I can host every one that I am thinking of, I am sure they will be on the list of people I want to host there.

FILE0022.jpg20171104_110614.jpg20171104_145126.jpgIMG_20171105_163259.jpg

[PT] Durante dias seguidos na Holanda não precisámos de nos preocupar com o alojamento, ou era o sobrinho, ou a namorada do filho ou mesmo algum amigo ou familiar que nos eram recomendados…sentimos que estávamos em casa. O mundo seria bem mais tranquilo se todos fossemos um pouco assim.

[EN] During the following days in Holand we didn’t have to worry about accommodation because Ida took care of it all. It was the nephew, the son’s girlfriend… we felt like we were at home. The world would be a better place if everyone was like this!

[PT] Chegámos a casa do Johan e da Astrid já bem à noite, estava um frio de rachar. Não nos conhecíamos até ao momento de entrarmos em sua casa mas, no instante a seguir parecia que estávamos em casa de um familiar muito próximo. O Johan é um polícia Holandês sempre bem disposto e a Astrid uma simpática jovem que trabalha em Amesterdão numa luxuosa mansão de congressos, todos os dias percorre quinze quilómetros de bicicleta de casa para o trabalho e volta. Quando saímos em direção a Amesterdão seguimos em bicicleta na sua companhia, ela fez questão de nos mostrar o caminho e o seu local de trabalho que é bem no centro de Amesterdão. Durante o caminho perguntei-lhe se nos dias de muito frio e chuva também ia de bicicleta, respondeu-me: “Sim, pedalo mais depressa para aquecer!!”

[EN] We arrived at Johan and Astrid’s home and it was night time and very cold. We hadn’t met before but, from the moment we got inside the house, it was like we were in the house of a family member. Johan is an always positive policeman and Astrid is a nice young lady that works in a luxurious congress house, both in Amsterdam. When we left in direction to Amsterdam, Astrid accompanied us on her bike and showed us the way she cycles everyday to her work that is right in the city centre, 15 kilometers everyday to work and then again to go back home. On our way I asked Astrid if she also went to work by bike on the cold and rainy days to what she replied: ”yes, I just go faster to keep warm!”

FILE0099.jpg20171107_090829.jpg

[PT] Amesterdão é uma cidade interessantíssima onde a bicicleta faz parte da vida das pessoas.

[EN] Amsterdam is a super interesting city where the bicycle is part of everyone’s life.

FILE0115.jpgFILE0117.jpgIMG_20171107_140322.jpg20171106_160624.jpg

[PT] Em Amsterdão é possível visitar a Casa de Anne Frank, a casa onde Anne Frank e a família se esconderam dos Nazis durante a segunda guerra mundial. Uma história que nos toca e um lugar que merece a visita (os bilhetes devem ser comprados online anteriormente).

[EN] In Amsterdam it is possible to visit the Anne Frank House, the actual house where Anne Frank and her family were hiding from the Nazis during WW2. A touching story and a place that is worth the visit (tickets need to be booked online in advance).

20171107_113529.jpg20171107_120449.jpg

[PT] O nosso caminho pela Holanda continua, e que monumentos curiosos encontramos!

[EN] Our way in Holand continues, and such interesting monuments we find!

IMG_20171108_123847.jpg

[PT] O céu e o tempo mudam constantemente

[EN] The sky and the weather constantly change

FILE0343.jpgFILE0352.jpgFILE0078.jpgFILE0070.jpg

[PT] A chuva teimava em aborrecer, mas já sabíamos que viajar no inverno iria ser assim. Mais uma vez era bastante noite quando encontrámos a casa da jovem Aranka, uma cientista comportamental, mais uma vez ficámos encantados com tanta tranquilidade e simpatia. Mostrou-nos a casa toda, disse-nos para ficarmos à vontade porque tinha de sair para ir ao balet e voltaria mais tarde. Já era tarde, estava de noite e a chover, mesmo assim ela foi de bicicleta…ali ficámos nós sozinhos em casa ainda mal tinham passado uns minutos de nos conhecermos, mais uma vez como se estivéssemos em casa de algum familiar próximo…se calhar eu era a única pessoa na terra que desconhecia esta confiança! Quando a Aranka voltou perguntei-lhe: “Mesmo com este tempo vais sempre de bicicleta?” Respondeu-me: “Sim, são só oito quilómetros para cada lado, seria estranho era se fosse de carro!” …conheço tantos lugares onde estes factos são vistos tão ao contrário…é pena!

[EN] The rain insisted on being present during our days but we knew what to wait for when we decided to travel during winter. Once again it was already night time when we arrived to Aranka’s house, a young behavioural scientist, very calm and kind. She showed us around the house, told us to be comfortable and said she had to leave for her ballet class, but she would be back in a couple hours. It was already very dark outside and a bit rainy, still, she went by bike. And there we were, alone in her house a few minutes after we met, once again it looked like we were from the same family. I think we are the only ones on earth that didn’t know about this thing called trusting strangers. When Aranka came back I asked her: “even with this weather, you always go by bike?” To what she replied: “yes, it’s only a few kilometers for each side, it would be weird to go by car”. There are so many places where this thought is the exact opposite, and that is a shame.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s